Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo

Governo de São Paulo prorroga quarentena até 31 de maio

Avanço da pandemia no interior, aumento no número de mortes e casos e baixa taxa de isolamento fazem SP adiar reabertura econômica

A quarentena em todo o estado de São Paulo vai ser prorrogada até o dia 31 de maio, informou nesta sexta-feira (8), o governador João Doria durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. “Gostaria de dar uma notícia diferente daquela que vou dar agora. Mas o cenário é desolador”, disse Doria.

“Nenhum país do mundo conseguiu relaxar as medidas de isolamento social com a curva de contaminação em alta”, afirmou Doria. “Infelizmente, nas últimas semanas, houve um desrespeito à quarentena em São Paulo e, tristemente, em outras partes do Brasil também. O número de casos aumentou e aumentou dramaticamente.”

Inicialmente, estava previsto um plano de reabertura para determinados setores da economia de acordo com as condições de cada região do estado, como número de casos de covid-19 e capacidade hospitalar.

No entanto, o aumento no número de mortes, casos confirmados e taxa de isolamento abaixo dos 50% fez com que o governo alterasse os planos para enfrentar o novo coronavírus.

“O Brasil hoje é um país triste. O medo é o pior conselheiro da economia. Prejudica o consumo, afugenta investimentos e ataca os empregos. A quarentena felizmente está salvando vidas em São Paulo e em outros estados brasileiros”, disse Doria. “Pessoas que poderiam ter adoecido e falecido estão em vida e agradecendo por estar vivendo e convivendo com seus familiares e desfrutando a longa vida que terão pela frente.”

O governador disse que o estado enfrenta o “pior momento da pandemia”. Segundo ele, a previsão é que a prorrogação da quarentena até 31 de maio poderá poupar cerca de 3.200 vidas. Em abril, disse Doria, houve aumento de 3.300% dos casos no interior. Na Grande São Paulo, em um mês, o aumento de casos foi de 770%.

“Não é uma tarefa fácil, nenhum governante, nenhum cidadão, nenhum ser humano tem prazer em dar más notícias. Mas não se trata de ter ou não este sentimento. Trata-se de proteger vidas. No momento mais difícil e mais crítico da história deste país, este é o papel, como governador de São Paulo, ao lado do Bruno Covas, prefeito da capital de São Paulo, que eu tenho obrigação de fazer”, disse o governador.

Retomada econômica

O governo de São Paulo trabalha na elaboração de um projeto de retomada econômica que será adotado quando começar a flexibilização da quarentena no estado. O chamado de Plano São Paulo, leva em conta a vulnerabilidade econômica e a empregabilidade e informalidade de cada setor.

Estão sendo construídos protocolos a partir de conversas com mais de 150 entidades e mais de 250 empresas, que criaram mais de 3 mil diretrizes coletadas junto ao setor privado. De acordo com o governo, a partir destes dados serão adotadas 367 diretrizes distintas adequada às demandas de cada setor.

A meta é “garantir saída gradual, responsável e organizada e acima de tudo, que seja efetiva do ponto de vista econômico”, afirma a economista Ana Carla Abrão, coordenadora do Plano São Paulo.

Um conselho municipalista formado por 16 prefeitos de cidades-sede das regiões administrativas foi formado para que ações conjuntas sejam tomadas de forma coordenada em todo o estado.

Epicentro da covid-19

Na Grande São Paulo, que é o epicentro da epidemia, quase 90% dos leitos de UTIs públicos estão ocupados. Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde, divulgados na quinta-feira (7), o índice de ocupação de 89,6% na região metropolitana.

Pelo ritmo de avanço do coronavírus em direção ao interior de São Paulo, o Centro de Contingência do governo afirmou ser possível que, até o fim deste mês, todas os 645 cidades do estado já tenham casos de covid-19.

Na quinta-feira (7), 371 municípios paulistas tinham casos confirmados da doença. Durante coletiva de imprensa, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, que integra o comitê, apresentou números que mostram que, há 50 dias, eram dez cidades paulistas com casos de covid-19.

Fonte: R 7 São Paulo