Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo

Brasil precisa de R$ 1,7 trilhão de investimentos em transporte

Sexta edição do Plano CNT de Transporte e Logística mapeia 2.663 projetos prioritários para o desenvolvimento da infraestrutura nacional.

​R$ 1,7 trilhão. Esse é o investimento mínimo necessário para que o país tenha um sistema de transporte moderno e livre de problemas. O valor consta da nova edição do Plano CNT de Transporte e Logística, lançado nesta segunda-feira (27) pela Confederação Nacional do Transporte. Considerando as atuais e as futuras necessidades do país, assim como as particularidades físicas, econômicas e sociais de cada região, a Confederação elencou 2.663 projetos essenciais para o desenvolvimento da infraestrutura de transporte nacional. As intervenções abrangem todos os modais (aéreo, aquaviário, ferroviário e rodoviário) de cargas e de passageiros, incluindo a estrutura de terminais.

Clique aqui para fazer download da íntegra do Plano CNT de Transporte e Logística

​Os projetos integram um vasto levantamento de demandas locais, estaduais e nacionais para o setor de transporte. Também foram incluídas intervenções baseadas nas pesquisas e nos estudos elaborados pela Confederação, propostas das afiliadas da CNT e programas de grande abrangência para o país, além de planos diretores ou de mobilidade de alguns municípios.

“Acreditamos que o sucesso do planejamento no nosso setor passa pela revisão permanente de projetos e pela priorização de investimentos, base de uma política de transportes voltada ao desenvolvimento. Com mais esse trabalho, a CNT contribui, de forma destacada, para a promoção de um novo cenário logístico, mais amplo, moderno, integrado e eficiente”, ressalta o presidente da Confederação, Clésio Andrade.

Os projetos são apresentados dentro do conceito de um sistema de transporte integrado. Por isso, foram estruturados em dois grupos: “Integração Nacional” e “Urbanos”. O primeiro abrange as intervenções necessárias para interligar regiões de grande demanda de passageiros, polos de produção e centros consumidores e de exportação. Eles foram divididos em nove eixos estruturantes e somam 2.343 intervenções, que correspondem a investimentos de R$ 1,4 trilhão.

O segundo grupo trata dos projetos urbanos, que são aqueles de relevância nos contextos urbanos ou metropolitanos e compreendem, principalmente, o transporte de passageiros. Ao todo, são R$ 291 bilhões distribuídos em 320 projetos que contemplam as 20 principais RMs (Regiões Metropolitanas) e Rides (Regiões Integradas de Desenvolvimento) do país. ​

Mapa apresenta eixos estruturantes do Plano CNT de Transporte e Logística 2018

 

Neste ano, além do material impresso, a CNT também inova ao disponibilizar o conteúdo do Plano também em formato digital, que permite a realização de consultas detalhadas, por projeto, além de apresentar um mapa interativo com as intervenções necessárias em cada região do Brasil.

Todo o material pode ser acessado pelo site planotransporte.cnt.org.br

PLANO CNT DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

O que é?

É um amplo levantamento dos projetos de infraestrutura necessários para solucionar os problemas atuais e modernizar o setor de transporte brasileiro.

Quais os objetivos dos projetos?

Ampliar a disponibilidade e melhorar a qualidade da infraestrutura de transporte, aumentar a eficiência logística e criar infraestrutura multimodal de modo a diminuir custos.

Como se dá o levantamento dos projetos?

Por meio de um vasto levantamento de demandas locais, estaduais e nacionais para o setor de transporte. Também foram incluídas intervenções baseadas nas pesquisas e nos estudos elaborados pela Confederação, propostas das afiliadas da CNT, programas de grande abrangência para o país, além de planos diretores ou de mobilidade de alguns municípios.

Onde acessar?

Todo o material pode ser acessado em planotransporte.cnt.org.br. A ferramenta permite a realização de consultas detalhadas, além de apresentar um mapa interativo.

 

Fonte: Agência CNT de Notícias – 27/08/2018